Viroc & Art

Arte Hoje

“Mais do que um suporte improvável de pintura, foi a revelação do Viroc como um elemento fulcral da composição.”- Rui Melo, artista plástico

Desde 2009, Rui Melo, um artista plástico dos Açores, utiliza o Viroc como suporte de pintura, assumindo muita da sua textura e subtileza cromática como parte das suas composições, tendo-se tornado um material marcante na sua actividade como criativo.

Rui Melo expõe regularmente em Portugal e no estrangeiro.

Em 2015, o artista realizou no Museu de Angra do Heroísmo (Terceira - Açores) uma exposição individual apelidada de "Em Concreto", onde expôs, o trabalho principalmente pintado em Viroc.

As obras de Rui Melo foram caracterizados por Carlos Bessa como:

“ (…) Rui Melo evidencia habilidade para contrabalançar o estático e o dinâmico, através de uma gramática pessoal que particulariza paisagens e pontos de vistas, envolvendo-os numa iluminação encenada que conduz o olhar de quem vê até às bordas do abismo ou daquilo que fica, qual trecho emotivo, a percutir dentro do espectador. (…) Atente-se no cuidado com que em qualquer das obras se ambiciona o precário equilíbrio da tensão. Tensão entre o que se expande e o que se contrai, entre o excesso e a contenção. Duplicidade e equilíbrio sustentam, pois, uma espécie de mapeamento da leveza.”

Em 2016, também foi seleccionado no âmbito da Exposição ART MAP – Moving Art Project e vai participar com dois trabalhos pintados em Viroc. Este evento envolveu 120 artistas de todo o mundo.

Vislumbre algumas destas obras inovadoras Viroc!