Maquinação

Corte

O painel viroc pode ser maquinado tal como a madeira.
Para espessuras até 19 mm pode ser utilizada uma serra portátil.
Para espessuras maiores ou grandes volumes de corte deve ser utilizada uma serra fixa de bancada, pois permite uma melhor qualidade de superfície e uma aplicação mais fácil dos requisitos de higiene e segurança. Os dentes do disco da serra devem ser alternados ou trapezoidais, finos e com pastilhas de tungsténio para cortar madeira ou aluminio.
Recomenda-se que o painel esteja bem fixo no acto do corte de maneira a evitar vibrações e consequentes danos.
Ao realizar o corte dos painéis ter em consideração que o corte consome a largura da serra, em geral de 3 a 5 mm.
O pó libertado no corte deve ser aspirado para protecção do ambiente de trabalho.
No corte com serras tico-tico devem ser utilizadas lâminas para madeira ou metal.

Furação

O painel Viroc pode ser furado com um berbequim convencional sem percusão, utilizando brocas adequadas para perfurar metal.

Lixagem

O painel Viroc pode ser fornecido calibrado/lixado. Uma vez lixado, apresenta partículas de madeira visíveis na superfície do painel.
A tolerância de espessura no painel lixado é de ± 0,3 mm.
A lixagem manual pode ser realizada na zona das juntas dos painéis no caso de desnivelamento das mesmas.
Podem ser utilizadas máquinas de disco vibratórias ou de banda.

Fresagem e torneamento

As arestas podem ser maquinadas em bisel, macho-fêmea, rebaixo ou meia-madeira.
As fresas devem ser de carboneto de tungsténio.